Governo brasileiro e parceiros apresentam pontos principais da Declaração do Rio de Janeiro

Date:

Compartilhe esta postagem:

30/11/2008 (11:27)

Os representantes do Comitê de Organização do Congresso (COC) concederam, na última sexta-feira (28/11), entrevista coletiva para apresentar um balanço do III Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, e os principais pontos da Declaração do Rio de Janeiro, aprovada por aclamação pela plenária de encerramento do evento.
A subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR), Carmen Oliveira, abriu a entrevista para mostrar aos cerca de 40 jornalistas de vários países do mundo um raio-X do III Congresso. “Esse foi, sem dúvida alguma, o maior evento já realizado para discutir o enfrentamento da exploração sexual da criança e do adolescente”, disse. O Brasil recebeu 160 delegações oficiais de governo – no II Congresso, no Japão, em 2001, foram 140 – e 3.145 delegados e delegadas inscritas de 170 países.
O número de participantes superou a marca de 3.000 se forem considerados os convidados e as pessoas que circularam nos painéis e oficinas durante os quatro dias do evento. A coordenadora geral do III Congresso apresentou também os números de jornalistas credenciados, altas autoridades governamentais e representantes de organismos internacionais e representantes conforme quadro abaixo.
Resultados concretos
Além dos aspectos quantitativos, Carmen Oliveira destacou a sanção da lei sobre pedofilia na internet e a assinatura do termo de parceria para a operacionalização de um hotline que vai identificar e penalizar responsáveis pelos crimes contra os direitos das crianças e adolescentes na internet. Ela lembrou também da importância da Mostra Internacional de Cinema e da mudança do formato do III Congresso. “Nós incorporamos a linguagem do cinema para sensibilizar a sociedade para o problema e diminuímos o número de apresentações para aumentar o nível de participação dos delegados”, esclareceu.
Carmen Oliveira garantiu que a estratégia do governo brasileiro de enfrentar a exploração sexual da criança e adolescente a partir do combate è pobreza será mantida e anunciou que esta política será incrementada a partir do III Congresso. “Vamos criar um sistema integrado de informações sobre casos de abuso e exploração sexual e aprofundar a intersetorialidade das ações dos 12 ministérios que executam 47 programas para a erradicação do problema.” Segundo ela, o Plano Nacional de Combate à Exploração Sexual será revisto para especializar os programas de atendimento às vítimas e incorporar a contribuição da arte e de projetos culturais aos programas governamentais.
Na linha da inovação das metodologias, a SEDH/PR pretende também conhecer a experiência de educação sexual de Cuba. “Precisamos seguir a orientação do presidente Lula e acabar com certas hipocrisias. Já estamos conversando com o Ministério da Educação para que 2009 seja o grande ano da introdução dos direitos humanos nas escolas”, afirmou Carmen Oliveira.
Avaliação dos adolescentes e parceiros
Michelle Correia considerou o III Congresso como uma grande oportunidade para os adolescentes exporem pontos de vista, trocar experiências e transmitir aos adultos e autoridades governamentais suas reivindicações. Ela assinalou que a juventude não aceita mais ser encarada como o futuro do País. “Para haver futuro é necessário existir o presente. Nos ajudem, então, porque nós somos o presente”, cobrou a jovem delegada.
A participação dos jovens no III Congresso foi considerada de extrema importância por Lenhart Reinuus, presidente da NGO. Para ele, os adolescentes qualificaram as discussões e representaram grande diferencial em relação aos congressos anteriores. “Nós temos que aprender com eles para não descolarmos da realidade.” Segundo o representante da NGO, o documento final do Congresso expressou de forma correta a condição de protagonista da juventude para erradicar a exploração sexual de forma articulada com os governos e a sociedade civil organizada.
A representante da ECPAT internacional, Amihan Abueva, agradeceu o empenho do governo brasileiro e destacou alguns pontos da Declaração do Rio de Janeiro como a criação de uma ouvidoria internacional para a proteção dos direitos das crianças e adolescentes; a unificação dos bancos de dados sobre exploração sexual; e o aprofundamento das parcerias com a Interpol. “Nós também aprovamos a criação de um código de condutas para os setores corporativos e o envio de relatórios governamentais periódicos dos países participantes do III Congresso para a ONU”, acrescentou Abueva.
O representante do UNICEF para a América Latina e Caribe, Nills Kastberg, também felicitou o governo brasileiro, a ECPAT e a NGO pela realização do evento e reiterou que os adolescentes foram a estrela principal das discussões. Segundo ele, o III Congresso Mundial rompeu o silêncio e projetou o problema da exploração sexual como uma questão de vergonha da sociedade. “Temos, agora, que trabalhar para mudar o comportamento machista dos homens, que são os principais violadores dos direitos das crianças e adolescentes, e ampliar nosso foco para o abuso sexual que é praticado nas famílias e nos lares.” O engajamento dos empresários do setor de turismo e o reconhecimento de líderes religiosos que as mudanças também têm de ocorrer no interior das igrejas foram outros aspectos assinalados pelo representante do Unicef.
Dados sobre a composição do III Congresso Mundial
. Presença de 160 delegações oficiais
. Registro de 55 autoridades governamentais de alto nível (ministros e vice-ministros)
. Inscrição de 3.145 delegados e delegadas de 170 países.
. Registro de 262 jornalistas do Brasil e do mundo
. Presença da rainha Sílvia e das primeiras damas do Uruguai, Paraguai, Cuba, Suriname e Belize
. Participação de seis ministros do governo brasileiro Secretaria de Direitos Humanos, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Saúde, Turismo, Secretaria de Igualdade Racial e Secretaria de Políticas para as Mulheres na abertura e nos painéis e oficinas
. Participação dos governadores do Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe, Pará, Goiás, Amazonas, Roraima, Rondônia, Mato Grosso e Alagoas
. Presença do prefeito de Niterói e de representante da Prefeitura do Rio de Janeiro
. Registro de representantes de organismos internacionais com Comissão da Comunidade Européia, Organização Internacional do Trabalho, Organização Mundial do Turismo e Comitê das Nações Unidas sobre Todas as Formas de Discriminação da Mulher
. Presença da senadora Patrícia Sabóia (PPS-CE) e da deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), respectivamente, presidente e relatora da CPMI da Prostituição Infantil, do senador Magno Malta, presidente da CPI sobre Crimes de Pedofilia na Internet, e do deputado Paulo Lustosa, presidente da Frente Parlamentar da Defesa da Cria
nça e do Adolescente
. Participação de representantes dos patrocinadores (Petrobras, Vale, Banco do Brasil, SESI, TV Globo e TV Brasil)

1800MC0122

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

">Rio de Janeiro – Apresentação de capoeira no encerramento do 3º Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Fonte: Agência Brasil e 3º Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes


Este artigo pertence ao Portal Capoeira do Rio.
Todos os direitos reservados.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Campanha dos 21 Dias de Ativismo contra o Racismo se inicia no dia 5 de março com diversas atividades

A partir de seu embrião, em 2016, neste ano a Campanha 21 Dias de Ativismo Contra o Racismo...

Espaço Brincante recebe Mestre Russo de Caxias para vivência e roda de capoeira

Documentário, vivência e aulão de capoeira para todas as idades é a programação deste domingo no Espaço Brincante...

Dique do Tororó recebe o Movimento Cadê Salomé para roda de capoeira e prosa neste final de semana

Com a participação da Mestra Lilu, mulher, mãe, capoeirista e pesquisadora e de Professora Negona, mulher negra, amante...

Nessa Roda tem Mandinga! Mandinga de Mulher!

O Programa Mandinga de Mulher, uma parceria entre a Rádio Capoeira e o Grupo de Estudos e Intervenção...